domingo, 25 de maio de 2008

Parabéns (I) (De parabém) felicitações; congratulações;


Mais dois aniversários que quero aqui assinalar. Dois meninos que fizeram anos sexta-feira dia 23.
- Ao amigo da Madeira David envio directamente de Marrocos um grande beijinho de parabéns e que tudo o que desejas se realize e que este ano te traga só coisas boas.
- idem idem para o amigo Guga, amigo e colega de blogue e de borgas, mas em vez de ser de Marrocos para a Madeira é só mesmo do sul para o norte da cidade... Ah e um pedido: não faças mais anos por favor! É que estou mesmo cansada...
Foi mais um fim de semana louco dedicado aos festejos dos 31 anos do Guga e foi mais ou menos como os casamentos dos Lelos. 5 dias de festa. Eu cá falhei 1 deles por motivos profissionais... Mas pronto. A falta já está justificada. Bela Bacardi Team que nós temos aqui!!!!



quarta-feira, 21 de maio de 2008

Gaivota (Do lat. gavìa-, «gaivota» +-ota) nome vulgar extensivo a umas aves palmípedes da família dos Larídeos, algumas das quais comuns em Portugal


Se és daquelas pessoas que não tem o mínimo de preocupação com a aparência da sua viatura então este post é para ti. Eu sou uma dessas pessoas. A lturas há em que eu própria tenho asco de entrar no maquinão que todos os dias conduzo. Sendo ele de matrícula IP resolvi chamar-lhe Impossível Penetrar porque realmente é impossível entrar dentro dele pois a porcaria vai-se entranhando nas borrachas das portas até formar uma pasta pestilenta que a páginas tantas seca e forma como que uma cola e lá tenho eu de puxar do pé de cabra para abrir o boguinhas. Só que convinhamos, é muito mais cómodo andar com uma chave dentro do bolso do que com um pé de cabra. Imaginem o porta-chaves... teria de ser no mínimo uma grua!!! Isto por fora... porque por dentro a coisa piora. Há quem tome o pequeno almoço em casa, outros, mais abastados, vão à melhor pastelaria da localidade. Pois eu tomo mesmo no carro. Não há tempo a perder e o quarto de hora que demoro a chegar ao meu local de trabalho tem de servir para algo mais senão para a própria deslocação para o local de trabalho. Todos os dias de manhã pego então na minha tosta de fiambre e no meu iogurte líquido de cheesecake e lá vou eu rumo a AlLagoa. Apesar de a N125 ter umas belas rectas onde acelerar, esporadicamente existem, também, algumas curvitas, ainda que muito ténues. Mas é o bastante para que o meu iogurte se derrame pelos bancos e tapetes do carro o que à mistura com as migalhas vindas da tosta forma uma iguaria que... enfim!
Se somarmos a isto o facto de eu viver ao pé do mar e de uma das principais espécies da sua fauna serem as gaivotas, que quando evacuam, evacuam a sério e como se não houvesse amanhã, imaginem o estado dos vidros do meu querido carrinho que não pediu para vir para Marrocos.
Isto foi só uma pequena introdução à história que me aconteceu ontem.
Já tinha pensado várias vezes que, se algum dia, o meu patrão me pedisse boleia para casa (coisa praticamente impossível pois o Sr. tem a frota da BMW) iria ser bastante embaraçador tanto para mim como para ele. Eu pelos motivos já apresentados, ele porque pura e simplesmente não iria caber.
Mas ontem tive a confirmação que tenho de me começar a preocupar não só com a minha imagem mas também com a do IP.
Numa das minhas idas a AlPortimão em trabalho a certa altura tive de parar num semáforo. Como aqui faz calor, ía com os vidros todos abertos e com a música aos altos berros. Tipo linha de Sintra se é que me compreendem. Olho para o lado e lá estava ele... o homem da minha vida. Aquele que iria ser o pai dos meus filhos e com quem eu iria partilhar a minha lareira e a cadeira de baloiço aos meus 90 anos. Rapazito pros seus 30 anos, carro jeitoso de gama média, óculos escuros Ray-Ban, bem parecido... enfim não lhe vi muitos mais atributos porque ele estava dentro da sua viatura. Como sou uma menina atinada e que acha que no primeiro encontro não deve haver muitas intimidades e porque tinha a música a decibeis elevados e não quis que ele soubesse, logo, quais eram as minhas humildes (mas dignas) origens, troquei um sorriso maroto com ele e resolvi fechar o vidro do carro. E imaginem o que fica a tapar a face de tão belo principe? O quê? Um valente excremento de gaivota, de tons amarelos e castanhos assim a percorrer todo o vidro do IP, como se de uma cascata se tratasse... Ainda tentei remediar a situação e abrir o vidro de novo mas já era tarde. O meu cavaleiro andante já não olhou de novo para mim... e lá partiu ele em busca de uma Rampuzel que tome mais cuidados com a aparência do seu transporte.
Acho que perdi a oportunidade da minha vida... De ser feliz e de ter filhos com óculos Ray-Ban (se eu uso e ele usa, os nossos filhotes iriam usar também... é como os olhos verdes!!!).
O que vale é que ganhei uma grande resistência às desilusões amorosas. E esta manhã levantei-me arranjei o meu pequeno almoço e lá fui eu de iogurte líquido na mão para dentro do IP. Malditas curvas que insistem em estar sempre no mesmo sítio...
Já Mohandas Ghandi dizia: “O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente”.
Eu não lavo o carro, escolhi viver ao pé da praia e tomo o pequeno almoço dentro da viatura. Futuro: vou ficar solteira.
Uma gaivota mudou a minha vida. Cuidado... poderás ser a sua próxima vítima.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Segredo (Do lat. secrétu-, «coisa secreta») processo ou assunto apenas conhecido de um ou poucos indivíduos

Caros amigos nem todos vão perceber este post mas eu tenho que deixar aqui assinalada uma descoberta que fiz.
Para quem pensa que o Pimentel anda muito ocupado e não aparece tanto nos convívios Canalhenses por motivos académicos pois, segundo o que ele diz, anda a apostar na sua formação e a tirar um MBA, engane-se.
Eu, com a ajuda da minha amiga Jo (já agora vejam o blogue dela que é o http://passesvites.blogspot.com/), descobrimos que ele realmente tem um não tem muito tempo livre mas não é por motivos académicos. Tem uma profissão paralela. Há que fazer pela vida... o rapaz acabou de comprar casa tem prestações para pagar...

Ora vejam:
De segunda a sexta: Eng. Pimentel (o primeiro a contar da mão que não come a sopa)









Aos fins de semana: Pimentel the Tigerman (exactamente na mesma posição)



Ganda maluco Piui :-)

P.C.P- Migui agora faz lá o comentário que fizeste ao ver as fotos dos meus amigos... diz lá, vá lá!!!

Sugestão (Do lat. suggestióne-, «id.») acto ou efeito de sugerir;

Venho por este meio sugerir mais dois blogues que prometem. Cada um ao seu género eis que vos deixo aqui os endereços:

- Na liberdade do vento, blogue criado pelo novo amigo Vitor, colega de peripécias em Marrocos, http://naliberdadedovento.blogspot.com/;

- Divagar entre linhas, criado pelo já vosso conhecido Guga (já algumas vezes citado neste blogue) e do qual sou colaboradora, http://divagarentrelinhas.blogspot.com/.

São duas óptimas maneiras de passar o vosso tempo, garanto.

Divirtam-se!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Parabéns (De parabém) felicitações; congratulações














Sei que já vou tarde mas queria deixar aqui os meus parabéns a duas pessoas muito especiais para mim.
No passado 21 de Abril a minha amiguinha Migui cumpriu 29 primaveras e por isso os meus parabéns.












No dia 27 de Abril foi a vez do meu papá que fez, imagine-se 60 anos!!! Tá “belhote” mas não parece.











Um grande beijinho para os dois.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Maio (Do lat. Maiu-, «id.») quinto mês do ano civil, com trinta e um dias

O mês de maio é realmente um fenómeno em termos de aniversários. Tudo o que é gente nasce em maio, o chamado mês das flores...
Deixo aqui os meus sinceros parabéns a todos os aniversariantes (só da semana que está a passar, porue os restantes virão para a semana), dizendo-lhes que lhes desejo as maiores felicidades, que continuem sempre como são agora pelo menos por dentro.







Um grande beijinho para:


-A pikena “sobrinha” Margarida: ainda não há fotos e em princípio não haverá tão cedo (pelo menos aqui)


-A minha gaija Sarita (a do lado da mão que não come a sopa)















-A minha bicicleta (agora um motão) Kiteres;

















-O meu Deus Grego João (o único que pode ser);














-O mê marido Nelson (o único que pode ser, também)
















-A minha Martinha maluca (esta foto é uma preciosidade, como crescemos, meu Deus!!! A Marta é a que está sentada de vermelho; as outras que estão sentadas de frente são o Piui e o Pinguto :-))























e por fim...


-O meu pastor Gato













Ufa... para a semana há mais ;-)

Recém-nascido - que ou o que nasceu há pouco; recém-nado


No passado dia 8 de Maio de 2008 nasceu mais um membro do “clã” da malta fixe. Aliás... o 1º de muitos (espero) desta nova geração.
Muitos parabéns Hipotenusa por teres sido mamã, parabéns ao diogo por ter sido papá e principalmente à Hipotenusinha Margarida que depois de 9 meses saiu para o mundo real. Agora é que são elas vão ser elas.
Prepara-te que isto aqui não é fácil mas com a ajuda dos teus papás maravilhosos, de toda a tua família e dos tantos tios e tias que tens à tua volta tudo vai correr bem.
E prepara-te também porque para o ano em fevereiro já vais para torres com a malta curtir o Carnaval!!!!
Muito boa sorte para os três e as maiores felicidades.
Tinha de nascer toura, a miúda????

Algarvismo (De Algarve, top. +-ismo) termo ou expressão característica do Algarve

Esta não é minha mas é merecedora que estar aqui registada neste blogue.
Em conversa com o meu amigo Costa (mais um da tasca) fiquei a saber que a empresa de comercialização de vestuário Macmoda vai abrir lojas no Algarve, mas com um nome diferente. Vejam em primeiríssima mão a nova imagem da empresa.


Obrigada Costa: proporcionaste-me mais um momento hilariante.

Liberdade (Do lat. libertáte-, «id.») poder ou direito de agir sem coerção ou impedimento (liberdade de execução ou de acção)

Foi no passado dia 25 de Abril que comemorámos 34 anos de liberdade. Não tendo vivido nessa época e não me passando pela cabeça como seria pois não chega o que os nossos pais, avós, tios e tias nos contam, desde já deixo aqui o meu agradecimento a todos eles e a todos os outros que nos permitiram, pelo menos, poder escrever e ler, por exemplo, este blogue.
É uma data que sempre gostei de festejar, pelos valores que me foram sendo transmitidos. Este ano não foi excepção e, apesar de estar em “Marrocos”, fi-lo.
Tendo tido conhecimento que o meu grande ídolo Jorge Palma iria dar um concerto em Lagos na véspera do dia da liberdade lá fui eu rumo a tal cidade no barlavento Algarvio na tão boa companhia da Migui, do Guga e do novo amigo Vitor.
Os nervos eram muitos. Fico assim cada vez que vou fazer/ver algo de gosto muito.
Chegando a Lagos e depois de um café num bar todo in da Marina de Lagos (ou Légues, em Algarvi), o que convinhamos não é lá muito de esquerda, lá fomos nós rumo ao parque de estacionamento da Avenida dos Descobrimentos. Como já íamos bastante em cima da hora pensei que só com uns binóculos é que iria conseguir ver o JP.
Qual não é o meu espanto quando chego ao tal parque de estacionamento (onde não havia arrumadores) e este está praticamente vazio. Vazio não é o termo... mas pronto... não tinha tanta gente como o concerto dos U2...
Conseguimos, praticamente, ficar na fila da frente. Só não ficamos porque pelos vistos ali aplicava-se a mesma “lei” dos supermercados e dos transportes públicos em que as grávidas, pessoas com crianças ao colo e deficientes (não aqueles diagnosticados pelas pessoas competentes) têm prioridade sobre os outros. Tudo bem... mas porque é que eles vão para ali então? O que é que uma criança de 5 anos faz às 23.00 horas num parque de estacionamento de uma Avenida de Lagos ao colo do pai ou da mãe a xuxar no dedo e a ouvir Jorge Palma?
“De pequenino se torce o pepino” e espero pelo menos que este concerto ajude estas crianças a, quando forem mais crescidinhas, darem valor ao que se faz em Portugal. Espero que lhes fique na memória a grande mensagem que tal monstro da nossa música tem para passar.
Avante... (palavra do dia)
Eis que entra o senhor e diz “Boa noite Legues”...
E daí para a frente foram 2 horas de boa música, grande mensagem, numa excelente companhia. Um grande momento digno de se ver e ouvir.
Seguiu-se um fogo de artifício. Eram 0.00 em ponto quando se ouviram estouros no ar. Muito bonito (isto dito por uma pessoa que não aprecia os espectáculos pirotécnicos). Não sei se foi por aquilo que simbolizava, mas foi um momento bem passado.
Por fim, e de volta a Portimão, seguimos para a “nossa” tasca em que, inevitavelmente, o tema de conversa era o 25 de Abril. Muitos testemunhos de protagonistas directos se ouviram...
Aqui ficam alguns momentos fotográficos e não só deste dia que tanto significa para todos nós, ou pelo menos deveria significar.

O filme:

video

(Desculpem a fraca qualidade mas o que conta é a intenção. Outro pormenor: reparem que se ouve a voz da Migui e as gargalhadas do Gualter por detrás da grande voz do Jorge Palma... daí as gralhas... Não se calaram durante todo o concerto. Mas pronto: a liberdade é isto mesmo apesar de irritar muita gente, nomeadamente a mim :-) )

As fotos:

video


Nota: Não posso deixar de deixar aqui os meus sinceros parabéns ao meu querido ti’ Xico Gaito que neste dia celebrou 88 anos de vida. Que continues assim durante muitos e muitos anos e que nos brindes com a tua bondade e simpatia (ranham ranham ranham :-) isto é uma private que só os da família conhecem ;-) )

Curiosidade: sabiam que em Itália, esse paraíso de corpos em V, também se celebra neste dia a “Festa della Liberazione”, marcandoa a liberação da Itália no final da Segunda Guerra Mundial?

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Regresso (Do lat. regressu-, «id.», part. pass. de regrèdi, «retroceder») acto de regressar; volta; retorno

Estou de volta. Agora na nova residência e já com quase todos os sacos e tarecos arrumados já posso voltar às lides blogueiras e continuar a contar-vos as minhas aventuras e desventuras por terras de Marrocos.
Como tenho uma vida social e profissional muito agitada não sei se me lembrarei de tudo mas, pelo menos, o mais importante irá ficar aqui registado.
A saga continua...

sábado, 3 de maio de 2008

Desculpa (Deriv. regr. de desculpar) alegação atenuante ou justificativa de culpa;

Estou de volta... depois de alguns dias de ausência trago novas histórias directamente de Marrocos. Não tenho escrito não porque não se tem passado nada de especial mas sim porque mudei de residência e isso ocupou-me as 8 horas que tenho livres por dia... sim porque continuo a ter aquele hobbie dedicado à construção civil...
Mas venho-me redimir e espero conseguir contar-vos as ultímas peripécias passadas em Alportimão.
Desde já peço as minhas desculpas pelo sucedido.
Um bem haja a todos vós.